Encontro de Enduro da Guarda

Como há muito vinha sendo promessa por parte do amigo Ricardo Fonseca, foi neste ano de 2014 que se realizou o encontro de Enduro da Guarda, no dia 16 de Fevereiro. Limitado a 25 participantes, e a preços de saldo (15€), as inscrições voaram num instante. As expectativas eram altas, com hipóteses de neve e temperaturas a rondar os 0C. A organização prometia transportes, almoço volante, reforços, jantar, massagens a quem se depilasse, banhos, etc.. Tudo para que ninguém andasse ao desconforto. Saídos de véspera da cidade de Lisboa, rumamos à vila de Folgosinho para pernoitar e jantar.

20140216_000106

Imagem

Para alguns a respectiva noite de folia tardou em terminar, o que se traduziu em poucas horas para aumentar os níveis de sangue no alcool e aguentar a ansiedade para a manhã de domingo. Despertamos com um mar de geada em tudo o que tocava no chão e rumamos ao Porto da Carne, local da concentração. Infelizmente a nossa precária pontualidade lusitana traduziu-se na perda do primeiro transporte do dia, pensava-mos nós, ao ver o local do encontro repleto de carros mas nem vivalma. Rapidamente surgiu uma carrinha com reboque pronta a levar para acima quem quisesse. Dividimo-nos aí, uns foram ao pequeno almoço, outros directamente para as descidas. Eu optei pela primeira opção, como tal não posso relatar a primeira descida do dia, mas no final as opiniões eram unânimes no que toca à sua alta qualidade, grandes vistas e variedade de obstáculos. Tal como a primeira, a segunda descida realizou-se na encosta sobranceira a Porto da Carne onde está plantada a infame subida do antigo IP5, em direcção à Guarda.

Imagem

Imagem

Esta segunda descida do dia (primeira para uns quantos) relevou um trilho muito natural entre maciços graníticos e zonas de areia onde se fluída encosta abaixo, atravessando alguns rios, e encostas, inclusivamente até uma aldeia. Das três descidas diferentes que realizei (4 ao todo), este foi o trilho que menos saudades deixou, o que não significa que seja dispensável numa incursão a estas zonas. Recomendo-o sem pensar duas vezes (não tem culpa, coitado, que os outros sejam fora de série). À chegada ao Porto da Carne fomos recebidos na sede do clube desportivo onde nos serviram um almoço volante de sandes, presunto, sumo, o belo do vinho, e muito mais. Fome ninguém passou. Prontos para a primeira descida da tarde rumamos ao topo do Cadafaz, local onde iríamos descer até à aldeia com o mesmo nome. Logo na subida os rapazes da organização revelaram as regras. Saltos com ou sem gap tinham sinalizações diferentes, todo o trilho estava marcado, era só deixar ir e curtir. Em vez de maçar com texto, deixo algumas fotos do trilho:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

1596872_10202425159082895_282903924_o

1966199_10202425141202448_1014861214_o

1907727_10202425177923366_1501133942_oImagem

Imagem

Imagem

Imagem

Nesta pista fizemos duas descidas, julgo que as fotos ilustram a razão de tal escolha. Infelizmente, devido ao elevado entusiasmo, houve algumas quedas que impossibilitaram que os acidentados continuassem. Felizmente nada de grave. De seguida fomos fazer uma descida na encosta oposta à das primeiras descidas, mas também para o Porto da Carne.1782263_10202425193603758_540010005_o

Inicialmente constituída por alguns caminhos rurais e travessias sobre propriedades agrícolas, entramos numa zona densamente arborizada por um single bastante retorcido, cheio de flow e ridiculamente divertido nos levou até ao sopé da encosta. Depois de um pequeno troco a rolar em alcatrão, e o ocaso do Sol à vista, chegamos ao Porto da Carne, prontos para banhos, às bikes e a nós, e um jantar daqueles. Esperava-nos uma feijoada repleta dos melhores enchidos e carnes, muitas sobremesas e boa bebida.

Em jeito de conclusão, posso adiantar que este evento superou as minhas altas expectativas. Fomos todos muito bem recebidos, a atenção a todos os pormenores estava lá, e muito trabalho de casa foi feito. Infelizmente para a maioria de nós, este local encontra-se muito longe, mas juntando aos trilhos a componente turística, com vistas, neve, comida, boa gente e ambiente rural, certamente vale uma visita de um fim de semana, ou mesmo uma semana inteira. Em nome dos All Mountain Elite agradeço a toda a organização, aos participantes e todos o que fizeram parte do evento, pois foi memorável e certamente tentarei marcar a minha presença numa próxima edição.

Aqui se encontra um video, da autoria do nosso amigo Fábio, onde estão ilustrados quase todos os trilhos:

PS: Para quem for a esta zona pode contactar o Rui Venâncio, mentor do projecto dos trilhos do Cadafaz, através do 966058293

One Comment Add yours

  1. Rui Venâncio diz:

    Tal como a comida dificilmente é boa quando não se tem fome, também os trilhos e a organização do Enduro da Guarda / Cadafaz não valeriam de muitos se não fossem os excelentes raiders e amigos que ai participaram….. obrigado e até breve. Estamos a abrir mais trilhos na Zona do Cadafaz…… não alvitro… têm que exp…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s